“Em cada irmão e irmã em dificuldade, nós abraçamos a carne sofredora de Cristo”

Com estas palavras o Papa Francisco inaugurou o pavilhão dedicado ao atendimento de dependentes de drogas do Hospital São Francisco de Assis da Providência de Deus, localizado no bairro da Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro.

O Papa chegou ao local às 18h20, depois de voltar de Aparecida, onde pela manhã, presidiu a Santa Missa e venerou a imagem de Nossa Senhora. Ele foi recebido pelo Arcebispo Metropolitano do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta e pelo diretor da Associação Fraternidade São Francisco de Assis da Providência de Deus, Frei Francisco Beloti.

Durante a inauguração da ala que contará com 40 leitos, o Santo Padre disse que “precisamos todos aprender a abraçar quem passa necessidade, como São Francisco”. E afirmou que no Brasil “existem tantas situações que reclamam atenção, cuidado, amor, como a luta contra a dependência química”. 

A ala inaugurada pelo Papa será dedicada ao atendimento de dependentes de drogas, prevista para entrar em funcionamento no final deste mês. Segundo levantamento realizado pelo hospital, somente na cidade do Rio de Janeiro existem 600 mil dependentes químicos e apenas 20 leitos disponíveis para atendimento. 

O Papa Francisco falou ainda sobre o egoísmo que existe quando o assunto é dependência química. Segundo o Pontífice, “são tantos os mercados da morte que seguem a lógica do poder e do dinheiro a todo custo! A chaga do tráfico de drogas, que favorece a violência e que semeia a dor e a morte, exige da inteira sociedade um ato de coragem”. E completou dizendo que é preciso “promover uma maior justiça, educando os jovens para os valores que constroem a vida comum, acompanhando quem está em dificuldade e dando esperança no futuro e precisamos todos olhar o outro com os olhos de amor de Cristo”. 

A inauguração desta ala hospitalar é um legado social deixado pela Jornada Mundial da Juventude. O objetivo é que o hospital se torne um centro de capacitação profissional sobre diferentes tipos de drogas e seus efeitos, principalmente naqueles que se encontram em situação de risco. 

Por isso, o Papa lembrou a Parábola do Bom Samaritano e disse que o hospital concretiza esta passagem bíblica porque “aqui não há indiferença, mas solicitude, não há desinteresse, mas amor”. 

Antes de encerrar seu discurso, o Papa deu um recado aos internos e seus familiares. Segundo o Pontífice, “a Igreja não está longe dos esforços que vocês fazem. Ela lhes acompanha com carinho. O Senhor está ao lado de vocês e lhes conduz pela mão”.

Reportagem e fotos: Luciano Batista

O site da Diocese de Campo Limpo está migrando para o endereço
www.dcl.org.br

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!