Dom Luiz abre Semana Santa na Catedral Diocesana

Abrindo a Semana Santa, Dom Luiz Antônio Guedes presidiu a Missa Solene de Ramos na Catedral Sagrada Família. A cerimônia teve início, como de costume para esta ocasião, em frente à casa episcopal. Após a benção dos ramos e proclamação do Evangelho, todos seguiram em procissão, cantando e rezando, até a Catedral.
Na homilia Dom Luiz, a partir dos textos bíblicos proclamados na Missa, indicou que personagem mais livre de todo o momento da prisão, paixão e morte de Jesus é justamente o próprio Senhor. Embora estivesse preso, amarrado, Ele tem total liberdade e por isso se apresenta tranqüilo, não se exalta, não insulta, pois sabe que está em comunhão com o Pai. 
Comentando as palavras de Jesus na Cruz, Dom Luiz destaca: "Não se trata de um grito de desespero, mas era um grito que ele deu  ressoando através de sua boca o grito de toda a humanidade que sofre, de todos os injustiçados. Ele também era injustiçado. Com a certeza interior que Ele está realizando a vontade do Pai". 
Por fim, convidou a todos para que ao longo desta Semana Santa haja um esforço pessoal de se encher dos sentimentos de Jesus Cristo e incentivou a leitura dos relatos da Paixão e Morte de Jesus presentes nos evangelhos, com a finalidade de levar todos a meditar com mais profundidade os últimos instantes da vida do Senhor . 
A próxima Missa em caráter diocesano presidida por Dom Luiz acontece na quinta-feira (13) às 9h30 da  manhã, onde juntamente com os padres da Diocese haverá a renovação das promessas sacerdotais, além da benção dos óleos dos catecúmenos e  enfermos e a consagração do óleo do crisma. 
Abrindo a Semana Santa, Dom Luiz Antônio Guedes presidiu a Missa Solene de Ramos na Catedral Sagrada Família. A cerimônia teve início, como de costume para esta ocasião, em frente à casa episcopal. Após a benção dos ramos e proclamação do Evangelho, todos seguiram em procissão, cantando e rezando, até a Catedral.
 
 
Na homilia Dom Luiz, a partir dos textos bíblicos proclamados na Missa, indicou que personagem mais livre de todo o momento da prisão, paixão e morte de Jesus é justamente o próprio Senhor. Embora estivesse preso, amarrado, Ele tem total liberdade e por isso se apresenta tranqüilo, não se exalta, não insulta, pois sabe que está em comunhão com o Pai. 
 
Comentando as palavras de Jesus na Cruz, Dom Luiz destaca: "Não se trata de um grito de desespero, mas era um grito que ele deu  ressoando através de sua boca o grito de toda a humanidade que sofre, de todos os injustiçados. Ele também era injustiçado. Com a certeza interior que Ele está realizando a vontade do Pai". 
 
Por fim, convidou a todos para que ao longo desta Semana Santa haja um esforço pessoal de se encher dos sentimentos de Jesus Cristo e incentivou a leitura dos relatos da Paixão e Morte de Jesus presentes nos evangelhos, com a finalidade de levar todos a meditar com mais profundidade os últimos instantes da vida do Senhor . 
 
A próxima Missa em caráter diocesano presidida por Dom Luiz acontece na quinta-feira (13) às 9h30 da  manhã, onde juntamente com os padres da Diocese haverá a renovação das promessas sacerdotais, além da benção dos óleos dos catecúmenos e  enfermos e a consagração do óleo do crisma. 
 
 
 
 

O site da Diocese de Campo Limpo está migrando para o endereço
www.dcl.org.br

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!