Missão Paróquia Santa Rita de Cássia

A proposta feita por Padre Lidionor era simples; partir com um grupo missionário para a Paróquia Santa Rita de Cássia em Juquitiba, onde permaneceríamos durante uma semana visitando todas as casas dos paroquianos, convidando-os a se engajar na vida comunitária e realizando um senso para se levantar os dados e situação de todos os integrantes da Paróquia.

 

Partir em missão sempre traz consigo uma grande expectativa, nessa não poderia ser diferente devido às circunstâncias, uma semana de evangelização em uma paróquia até então desconhecida para grande parte de nós, que desafios enfrentaríamos? Como seriamos recepcionados? Como faríamos para anunciar o Evangelho de Nosso Senhor? A única certeza era a dúvida, mas a confiança na Divina Providência superava todos os questionamentos. 

 

Chegado o dia de nossa partida, liderando o grupo missionário tínhamos o Reitor do seminário Diocesano Padre Lidionor Sampaio, auxiliado pelo seu Vice Reitor Padre Renato Gomes, além desses o grupo era integrado por 15 seminaristas de nossa Diocese, 4 irmãs da Congregação Sagrado Costado sendo dessas 2 postulantes, 2 membros da Comunidade Missionária Novo Ardor e completando o grupo haviam leigos que se disponibilizaram a completar aqueles que partiam para Anunciar a Boa Nova. Partimos no domingo dia 15 de Janeiro do seminário Nossa Senhora Aparecida, rumo a Paróquia Santa Rita de Cássia, onde participaríamos da Missa de envio, e logo após a Missa o grupo de 31 missionários seria dividido nos quatro setores da Paróquia com seus respectivos coordenadores, os setores foram divididos em: 

 

Setor 1: Santa Rita de Cássia (Matriz), Coordenador Seminarista Wallace Almeida Adorno 

 

Setor 2: Nossa Senhora Aparecida (Comunidade), Coordenador Seminarista Aloísio de Melo Souza 

 

Setor 3: Santo Antônio (Comunidade), Coordenador Seminarista Otávio Augusto de Oliveira Freitas 

 

Setor 4: São José (Comunidade), Coordenador Bruno Rodrigues Toledo 

 

Todos foram acolhidos pelas famílias paroquianas que se disponibilizaram a  ceder suas casas onde fomos hospedados. Logo no primeiro dia de Evangelização surgem as primeiras dificuldades, a grande extensão territorial da Paróquia contrapondo o número de missionários, a chuva nossa querida e fiel companheira que nos acompanhou durante todos os dias, as estradas em sua maioria de terra batida e em más condições que aliadas a chuva por vezes se tornavam intransitáveis, um verdadeiro enxame de receptivos mosquitos(para não dizer demônios alados) ávidos pelo sangue dos visitantes, mas a palavra de Deus não está acorrentada mesmo com todas as dificuldades, prosseguimos pela força do Espirito Santo, com  a certeza de que Cristo estaria conosco  a visitar cada uma das casas e seus moradores. 

 

Conforme se passavam os dias algo nos surpreendeu positivamente, a receptividade da população local para conosco, e independentemente de suas crenças de Católicos, Evangélicos, Judeus, Espiritas, todos nos atendiam com atenção e acolhimento, fomos atendidos por uma grande diversidade de pessoas, jovens, idosos, crianças, e a cada dia maior se tornava a nossa alegria, por cada pessoa que tinha sua Fé reavivada e isso se refletia na adesão aos eventos realizados durante aquela semana, nossa maior recompensa era ver pessoas que após anos sem ir a qualquer evento da Igreja se união a nós para rezar um Terço, participando de uma celebração da Palavra, ou qualquer outro evento. Era especial o sentimento de podermos em comunhão com toda a Igreja e com o Santo Padre Francisco  testemunhar a alegria do Evangelho(Evangelii Gaudium) e sermos a Igreja que vai ao encontro dos que mais precisam, uma Igreja em saída, lembrando a vocação missionária de todo o Cristão batizado. 

 

E depois de todo cansaço e desgaste físico e mental, nenhum de nós missionários reclamava, pois as nossas almas jaziam no jubilo de testemunhar o Amor e Salvação que Jesus Cristo nos deu, talvez nenhum dos missionários possa testemunhar os frutos que serão colhidos, mas temos a certeza de que cumprimos nosso dever de semeadores da Palavra e construtores do Reino dos Céus, Reino esse que não se constrói somente com grandes obras, mas por sinceros e pequenos gestos de Amor, Amor esse que transmite o Cristo e levam as pessoas sem percebermos a uma experiência com o Ressuscitado, é por amor a Ele que tudo fazemos, aonde Ele nos mandar nós iremos, seu Amor não podemos ocultar, e anunciar que Jesus é o Nosso Salvador. E nós recebemos de Deus tesouros magníficos, novas amizades, partilhas de experiências de vida, momentos de alegria, e principalmente poder ser família  Igreja com a população local. 

 

De forma muito breve relatei a experiência que vivenciamos do dia 15 a 22 de Janeiro, gostaria de agradecer a cada um dos missionários que se colocaram a disposição, alguns em meio ao seu período de férias, agradecimentos especiais aos membros da Paróquia Santa Rita de Cássia que nos auxiliaram e muito durante todo o tempo, e principalmente ao Padre Lidionor idealizador e realizador de toda essa obra de Evangelização. E por fim gostaria de me dirigir a todos os filhos da Santa Igreja Católica e dizer que muitas almas esperam pelo seu sim a missão evangelizadora da Igreja, seja instrumento nas mãos de Deus, o trabalho é grande e poucos são os operários, mas todo o sacrifício por Amor ao Reino dos Céus será recompensado, nessa vida e na vida vindoura junto a Deus na eternidade. Um abraço fraterno, Deus os abençoe e Maria os guarde.

 

Kaito Alves de Carvalho

Membro da Comunidade Missionária Novo Ardor

 

O site da Diocese de Campo Limpo está migrando para o endereço
www.dcl.org.br

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!